Segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

je t´aime pour le souvenir

Je t´aime pour le souvenir

que je n´ai pas une histoire pour raconter,

je suis seulement une histoire à construire

… enfant d´aujourd´hui,

femme du prochain jour…

 

 

Je t´aime avec mon cœur,

mon petit cœur d´enfant

(qui va grandir)…

je t ´aime avec mon corps

mon vécu corps de femme

(qui t´attends)…

Je t´aime pour le souvenir

m.a.f.a

 


publicado por uriel_arcanjo às 12:27
link do post | comentar | favorito

princesa rainha

No teu corpo encerras toda a magia da vida,

a tua pele brilha,

o teu sabor fica intocável nesta boca faminta,

o teu odor amarrado ao meu peito…

e vejo-te…

princesa rainha…

 

 

O teu corpo dança no ar,

flutua sobre o chão…

dás-me a mão em segredo,

levas o meu coração para lá de todos os pensamentos…

e desejo-te…

princesa rainha…

 

 

No teu corpo

despertas-me para o dia…

a tua pele aquece-me do frio,

o teu sabor mata-me a fome,

o teu odor guarda todos os sentimentos…

e quero-te…

doce princesa rainha…

 

 

O teu corpo dança no ar,

flutua sobre o chão…

em segredo dás-me o coração,

levas-me ao teu refúgio…

e beijo-te…

minha doce princesa rainha…

m.a.f.a

 


publicado por uriel_arcanjo às 12:26
link do post | comentar | favorito

...

Ton corps doux

sur la chambre de la vie…

Ton cœur ouvert

chantant l´amour

sur toutes les chansons…

 

 

Ton corps rouge

sur la chambre d´une vie blanche…

Ton cœur ouvert rouge

sur les chansons blanches…

Ton rouge sur mes lèvres plutôt blanches…

Ton cœur ouvert rouge sur mon cœur plutôt fermé… blanche…

 

 

… ton rouge sur mon blanche…

aujourd´hui rouge…

m.a.f.a

 


publicado por uriel_arcanjo às 12:24
link do post | comentar | favorito

nunca nada te caiu das mãos

nunca nada te caiu das mãos,

foste tu que as abriste

e largaste à sorte tudo o que trazias no aconchego da tua pele.

 

Nunca perdeste nada…

que nunca guardaste um grande amor nas mãos… como eu…

que quando abri as mãos para te ter…

… tinhas ido…

 

Nunca te caiu nada das mãos,

que nunca quiseste trazer nada embalado na tua pele quente…

 

Nunca perdeste nada…

Que nunca guardaste um amor nas mãos…

Porque nunca… nunca te quiseste dar ao embalo de outras mãos…

m.a.f.a

 

 


publicado por uriel_arcanjo às 12:23
link do post | comentar | favorito

1,2,3

“um, dois, três

vou nascer outra vez”

ser menina

no teu regalo,

ser moça

com o coração a abrir em flor,

ser a mulher

que quiseste um dia,

ser uma fotografia

no álbum da tua vida.

 

 “um, dois, três

vou nascer outra vez...”

ser a menina

a quem deste a beber

- a vida,

ser a moça a quem deste a provar

- o amor,

ser  a mulher

de um dia

que te deu a saborear todas as vidas...

ser a fotografia

que guardas no peito...

 

 

“um, dois, três...”

vou nascer, nascer e nascer

outra, outra e outra vez,

para ser,

…para te ser…

sempre uma doce lágrima antes do (eterno) adormecer.

ma.f.a

 

 


publicado por uriel_arcanjo às 12:20
link do post | comentar | favorito

no teu corpo mãe

No teu corpo

Mãe,

brinquei com a vida

nestas mãos de criança

...deixei-a cair,

- não se partiu!...

 

 

No teu corpo

Mãe,

chorei

e a vida abraçou-se a mim...

 

 

Mãe

no meu berço

a vida viu-me nua

e não tive vergonha de mim...

 

 

(...não me cobri...)

 

m.a.f.a

 


publicado por uriel_arcanjo às 12:19
link do post | comentar | favorito

quebrei a sagrada estátua de barro

 

Quebrei a sagrada estátua de barro,

nasci,

carne e osso,

pintada com o teu sangue,

Mãe,

mulher,

mortal,

humana,

comum...

 

 

Quebrei a divinal estátua de barro,

e nenhum Deus de nenhum Olimpo,

me chorou

nascida

em dores,

em choros,

em mortes

(de outrém),

nascida de ti

Mãe,

mulher,

mortal,

humana,

comum.

 

 

Quebrei essa estátua de barro,

morri para os céus,

nasci para a terra,

morri anjo,

nasci humano…

 

 

Quebrei essa estátua de barro,

nasci em sangue

das lágrimas do anjo negro em mim, que morreu…

 

 

Quebrei essa sagrada estátua de barro…

e nenhum Deus,

de nenhum Olimpo

me chorou

 

 

m.a.f.a

 

- anjo negro morto na criança a nascer...


publicado por uriel_arcanjo às 12:18
link do post | comentar | favorito

se é para morrer

Se é para morrer

deixa-me morrer sozinha

com este corpo que não foi teu

sempre representei tomar por meu

...mas nunca de nunguém...

Se é para morrer

não me chores sobre este corpo

não o faças sentir na morte a vida

não o faças chorar-te a seco

para nunca o saberes...

Se é para morrer

não me olhes tão fundo

não queiras este corpo que não foi teu

sempre representei tomar por meu

...mas nunca de ninguém...

nem obra de Deus,

nem glória do Diabo.

mero erro de alguém...

Se é para morrer

não estejas comigo para pedir vida à vida

deixa-me ir...

além

além do preto que tanto abracei

além das nuvens que tanto estudei...

crendo habitá-las

sem Paraíso ou Inferno por alugar...

Se é para morrer não me ames tão sofregamente

não estejas aqui

deixa-me soziha

perder cor a cor

emudecer palavra a palavra

enfraquecer gesto a gesto...

 

Se é para morrer

deixa-me morrer sozinha

com este corpo que não foi teu

sempre representei tomar por meu

...mas nunca de ninguém...

 

Se é para morrer

não estejas aquie,

deixa-me sonhar contigo

e morrer a sorrir de vida!

 

m.a.f.a


publicado por uriel_arcanjo às 12:09
link do post | comentar | favorito

EM MIM

Em mim

nascem mil dias

mil meses

mil anos...

Em mim

dormem mil pessoas

mil vidas

mil mortes.

Em mim

nada

no nada eu.

Em mim

tudo

no tudo o nada de mim.

Que em mim

nascem mil vidas

morrem mil deuses

crescem mil homens

e perde-se sem se perder o céu

...que sempre quisemos acreditar existir...

 

m.a.f.a

 


publicado por uriel_arcanjo às 12:05
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 24 de Outubro de 2008

i´m here, always here

não morres jamais

não é esta lápide a tua casa

...não é...

por mais que tenha o teu nome (completo)

o teu rosto

a tua idade

(criança a homem feito)

a única flor

a que sorrias e não roubavas do campo

deixando-a viver...

a tua mãe, todos os dias aqui...

mas não, esta não é a tua casa

mesmo que esteja na tua cidade,

não aqui

irónico... cemitério dos prazeres,

esta não é a tua casa, amor...

que não morres jamais

(em mim)

 

esta não é a tua casa,

tu moras no céu

que infinitas vezes vejo,

tu moras na terra

que me acolhe a cada queda...

esta não é a tua casa...

não, não é...

 

 

m.a.f.a


publicado por uriel_arcanjo às 15:10
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. dias

. GOOD BYE

. GOING ON

. ...

. ...

. ...

. LIMBO_DARK ANGEL

. RETRATO FERNANDO PESSOA

. PERSPECTIVAS

. LUAR

.arquivos

. Abril 2011

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Entre canibais

. my little sweet love

.participar

. participe neste blog

SAPO Blogs

.subscrever feeds